11 de setembro 2017

Informação

"O investimento na Saúde é uma questão ética e moral"

Os dirigentes da Ordem dos Médicos deslocaram-se ao Palácio de Belém para uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no final da tarde do dia 11 de setembro. Na primeira audiência em Belém deste mandato da Ordem dos Médicos, a comitiva integrou o Bastonário, Miguel Guimarães, os presidentes do Conselho Regional do Centro e do Conselho Regional do Norte, respetivamente, Carlos Cortes e António Araújo, e o vice-presidente do Conselho Regional do Sul, Jorge Penedo.

No final deste encontro, o atual Bastonário, Miguel Guimarães, em declarações aos jornalistas, defendeu a necesidade de reforçar a aposta financeira no setor. "O investimento na Saúde é uma questão ética e moral". A frase do Bastonário da Ordem dos Médicos surge no atual contexto em que, justifica, é necessário "combater as desigualdades sociais na Saúde", assimetrias essas que "estão, neste momento, a criar um fosso muito grande entre as pessoas que têm algum poder económico e as pessoas que não o tem". "Levámos ao senhor Presidente da República as nossas preocupações", sustentou.

É do entendimento da Ordem dos Médicos a necessidade de trabalhar para a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde "para fazer as reformas necessárias desde os Cuidados de Saúde Primários até à reforma hospitalar, no sentido de dar uma resposta mais eficaz e mais global aos problemas".

O Bastonário da Ordem dos Médicos afirmou ainda: "Tenho a certeza de que nestas questões que se relacionam com a qualidade de vida das pessoas, com o acesso dos portugueses aos cuidados de Saúde, o senhor Presidente da República tem obviamente essa preocupação". Miguel Guimarães colocou o acento tónico no facto de atualmente muitos agregados familiares estarem a gastar 38% do seu orçamento em Saúde, apontando ainda como problemático o exemplo de que o Serviço Nacional de Saúde chegar apenas a 60% daquilo que é necessidade para os cuidados de saúde dos portugueses.

Questionado sobre o apoio a uma paralisação de médicos, afirmou: "Se a Ordem dos Médicos concordar com as reivindicações obviamente que apoiará" os colegas que pretendam aderir à greve. Foi precisamente neste dia, 11 de setembro, que os enfermeiros cumpriram o primeiro de cinco dias de greve. "Existem, neste momento, razões para que os profissionais de saúde estejam descontentes com o sistema", disse Miguel Guimarães, lembrando, no entanto, que a Ordem dos Médicos não faz atividade sindical.

 

 

Foto @SRCOM

Legenda (da esquerda para a direita):

António Araújo, Presidente do Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos; Jorge Penedo, Vice-presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos; Carlos Cortes, Presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos; Miguel Guimarães, Bastonário da Ordem dos Médicos; Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República; Ana Paula Bernardo, Assessora da Presidência da República para as questões laborais; Mário Pereira Pinto, Assessor da Presidência da República para a área da Saúde.