12 de outubro 2017

Informação

Ordem dos Médicos visita Serviço de Anestesiologia do Hospital Infante D. Pedro


O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) deslocou-se ao Hospital Infante D. Pedro, do Centro Hospitalar Baixo Vouga, para conhecer o serviço de Anestesiologia, atualmente dirigido pela médica Adelina Almeida. Nesta visita, Carlos Cortes contou com a participação do presidente do Colégio de Especialidade de Anestesiologia, Paulo Lemos, e, na reunião que antecedeu a visita ao serviço de anestesiologia, ao bloco operatório e ao serviço da dor, participaram também a presidente do Conselho Sub-regional de Aveiro da Ordem dos Médicos, Beatriz Gusmão Pinheiro, e Maria José Moreira, membro da Assembleia de Representantes (de Aveiro).

Tendo em conta a falta de recursos humanos no Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente na especialidade de Anestesiologia, Carlos Cortes tem estado a visitar as diversas unidades da região Centro. A visita em Aveiro, realizada a 12 de outubro de 2017, teve início na sala da direção do Serviço de Anestesiologia do Hospital S. Infante D. Pedro, com uma caracterização sumária por parte da diretora de serviço.

Integrado numa área de influência que integra nove concelhos do distrito de Aveiro, este serviço possui atualmente 22 médicos anestesiologistas, número que a direção de serviço considera insuficiente, apesar do reforço desde maio deste ano com a contratação direta de quatro profissionais desta especialidade para fazer face ao encerramento de salas por falta de anestesiologia. Ficou patente que desde 2016, ano em que saíram alguns médicos para outras unidades hospitalares e regiões do País, o serviço de anestesiologia recorre à contratação de médicos 'à hora', designadamente, para a escala do serviço de urgência.
A atividade do Serviço de Anestesiologia de Centro Hospitalar Baixo Vouga distribui-se pelas diversas áreas funcionais do Centro Hospitalar, em Aveiro, Águeda e Estarreja: avaliação e tratamento de doentes no período peri-operatório, convencional e ambulatório, o tratamento da dor aguda, designadamente a analgesia de trabalho de parto, o tratamento da dor crónica, o apoio a procedimentos de diagnóstico e/ou terapêuticos e a intervenção em emergência médica, bem como a Unidade de Cuidados Paliativos (no Hospital Visconde de Salreu, em Estarreja).
Refira-se que dentro do Bloco Operatório foi criada uma sala de acolhimento para os responsáveis parentais, que nela permanecem enquanto aguardam o final da intervenção cirúrgica e podem acompanhar os filhos na na sala de recobro. Para além deste acompanhamento, o Centro Hospitalar do Baixo Vouga possibilita a todas as crianças e seus responsáveis parentais a possibilidade de efetuarem uma visita pré-operatória, na qual ficam a conhecer as instalações, os elementos da equipa e onde são explicados e demonstrados vários procedimentos que vão acontecer no dia da cirurgia. Foi também elaborado um folheto informativo que integra um conjunto de normas que devem ser respeitadas aquando do acompanhamento de crianças no Bloco Operatório.
À data desta visita da Ordem dos Médicos, o serviço possui cinco internos da Formação Específica, um por cada ano de especialidade.