04 de outubro 2018

Informação

Psiquiatria do CHUC continua a apostar nas equipas comunitárias


Estar próximo para cuidar melhor. Esta tem sido a filosofia subjacente à atividade assistencial do Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra que tem apostado nas unidades de saúde mental comunitária que saem duas a três vezes por semana do hospital para várias rotas predefinidas: Com uma equipa composta por médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros de saúde mental deslocam-se a Pedrógão Grande/Castanheira de Pêra/ Figueiró dos Vinhos; Oliveira do Hospital/Tábua/Arganil; Figueira da Foz; Cantanhede; Mealhada.

Estas e outras valências do Serviço de Psiquiatria do CHUC foram apresentadas hoje pelo diretor, António Pires Preto, ao presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos. Recorde-se que, tendo em conta a falta de recursos humanos, a falta de investimento nas infraestruturas e equipamento no Serviço Nacional de Saúde, Carlos Cortes tem estado a visitar as diversas unidades da região Centro traçando, desta forma, o retrato real de cada especialidade médica.

São muitos os desafios que estão a ser colocados a este serviço que possui atualmente 41 médicos especialistas, 8 dos quais que têm entre 55 e 60 anos.

As diversas unidades de internamento do serviço de psiquiatria do CHUC estão em diversos locais da cidade: internamento Homens (polo HUC); internamento Mulheres (Bloco de Celas) internamento doenças afetivas, Patologia Dual, Unidade de Tratamento de Doentes Difíceis, Psiquiatria Forense; Violência Familiar, entre outras (polo Sobral Cid).

António Pires Preto que é também Coordenador Regional para a Saúde Mental da Administração Regional de Saúde do Centro explicou que das 43 mil consultas anuais, 12 mil são na comunidade.

A visita ao serviço de Psiquiatria no polo dos Hospitais da Universidade de Coimbra foi realizada na manhã de 4 de outubro de 2018. Neste polo, são inúmeras as alusões ao Professor Elísio de Azevedo e Moura, primeiro bastonário da Ordem dos Médicos em 1939: Esculturas e fotografias do médico e professor psiquiatra estão quer no interior quer no exterior do serviço.

Seguir-se-ão, entretanto, outras visitas para conhecer as restantes valências e os profissionais que as integram.

É a 10 de outubro que se assinala o Dia Mundial da Saúde Mental. As perturbações do foro psicológico estão a crescer e os distúrbios mentais, independentemente da sua gravidade, são das principais doenças incapacitantes do século XXI. A tal ponto que Pires Preto assinalou ontem as previsões avançadas pela Organização Mundial de Saúde que estima que em 2030 a principal causa de invalidez e morte esteja relacionada com as doenças psiquiátricas. "2030 está quase aí", alertou o diretor do serviço de Psiquiatria do CHUC.

 

Texto e fotos: Paula Carmo